Arquivo da tag: amor amor

“DO AMOR”

Conforme está a vida de Ana Luíza, seleciona um episodio da série “Do Amor”, que passava no canal Multishow, e o assiste pela milésima vez. Quando encontra-se na fase de um novo love, ela assiste ao primeiro episódio (“Do início ao fim”). Se terminou com o namorado, aí já é outro. E assim vai chorando, lutando, sorrindo, fazendo amor, sonhando, indo a festas com Ana Flor, a heroína. Seria como dividir os capítulos da série de sua vida, esgotando sentimentos e momentos, como se não pudessem nunca terminar.

Mulheres têm isso. Vão fundo nos sentimentos. Precisam compartilhar dramas, alegrias, intimidades, mesmo que seja com uma personagem. Pintam seus dias com as cores de outras mulheres, mas que no fundo, talvez sejam  as mesmas cores.

Ana Flor, Ana Luíza, todas Anas, com vontade de encontrar a felicidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Amor, Comportamento, Mulher, Princesas, Sentimentos

E ELES FORAM FELIZES PARA SEMPRE… O livro PÁGINAS DE VALENTINA

 

Exibindo CAPA_Páginas de Valentina.jpgE eles foram felizes para sempre…

 Valentina nunca acreditou em príncipe encantado até conhecer Marcelo. A partir desse encontro, sua história se desdobra em crônicas, reunidas no livro “Páginas de Valentina”, que revelam as agruras e delícias da vida de uma mulher sensacional, alegre e sensível que sempre soube o que quer: ser feliz.

 Independente e bem resolvida na vida, a divertida Valentina adorava provocar suas amigas com o assunto sobre as princesas: “Será que a Branca de Neve não era feliz com os sete anões? Parecia que sim, apesar de ser discutível trabalhar como empregada doméstica de sete homens porquinhos. A princesa não demonstrava se sentir explorada, como se até fazer faxina fosse coisa molinha. E a Cinderela que também nunca reclamava de assoberbar-se, gente!”.

 

Assim é a personagem principal do livro Páginas de Valentina, de autoria de Claudia Medeiros, que se revela presente dentro cada mulher através de seu universo feminino peculiar povoado de mulherices (coisas de mulher) e homices (coisas de homem). E Valentina tinha uma convicção: a de que príncipe encantado não existe. Porém, num belo dia, após um encontro, isso de tornou uma dúvida seguida de muitas outras: o que é felicidade? O que é ser mulher? Somos princesas?

Carioca da gema, Claudia Medeiros é pedagoga e Mestre em Educação Brasileira pela PUC-Rio. Cheia de mulherices, adora Elvis Presley, Johnny Depp, Gene Kelly, filosofia, cinema, além dos autores Leandro Konder e Walter Benjamin. É autora do blog mulhericesblog.com que deu origem ao tema explorado em seu primeiro livro, Páginas de Valentina, no qual revela que o cotidiano de uma mulher é escrito por ela a cada dia e invadido por muitas histórias dos outros sobre as quais não se tem controle.

Princesas, príncipes… Tudo isso é parte de um ideário coletivo que, mesmo criticado, vai nos constituindo como sujeitos… Daí que quando um homem tem traços de um príncipe, seduz. Até mesmo a descrente Valentina. E o que as histórias de Páginas de Valentina pretendem mostrar é que a vida das mulheres não depende de um (muitas vezes aparente) campo afetivo de sucesso para que sejam felizes ou respeitadas. Que podemos ir muito além do estereótipo de princesas à espera de um príncipe encantado, pois há uma vida cheia de desafios, boas surpresas e alegrias que independem da presença de um homem. Além disso, olhar com mais senso de humor os dramas do cotidiano feminino”, conta a autora.

  

“Páginas de Valentina”, de Claudia Medeiros – Editora Multifoco

Lançamento: dia 14 de fevereiro (sexta-feira), às 19 horas

Local: Livraria da Travessa, Rua Visconde de Pirajá, 572 – Ipanema – Rio de Janeiro – RJ

Preço: R$ 36,00

À venda nos sites  apartir de 14/2: www.travessa.com.br, www.livrariacultura.com.br e http://www.editoramultifoco.com.br

 Mais informações à imprensa:

Andréa Dias – 21 981442702 / andreadias@percursocom.com

Deixe um comentário

Arquivado em Amor, Comportamento, Dinheiro, Felicidade, Homem, Medo, Mulher, Príncipes, Princesas, Sentimentos, Sexo

RAPIDINHA 46 – HOMEM OU SUPER HOMEM?

Saindo de São Paulo entrou na cabine do banheiro do Aeroporto de Congonhas e trocou o terno por um jeans e uma camiseta.

“É um pássaro? Não! É um avião? Não! É o Super Homem? Não”! 

É apenas um homem que veio jantar com a namorada num bistrô do Rio de Janeiro.

Romântico, não? Para nenhuma admiradora de Clark Kent botar defeito.

Deixe um comentário

Arquivado em Amor, Comportamento, Felicidade, Homem, Mulher, Príncipes

PEITINHOS DO BEM

Aos 5o anos descobriu que estava com 3 tumores nos seios – 1 e 2. Não sabia se eram malignos até o resultado da biópsia sair. Enquanto esperava decidiu fazer uma festa de aniversárResultado de imagem para seiosio, o qual já havia chegado. As filhas, já moças, organizaram tudo. Durante a festa andava vaporosa e linda como sempre. Conseguia falar da cirurgia que se aproximava com naturalidade. Na verdade, Maria Claudia já enfrentara tantos problemas… Seria mais um. Há uns quinze anos teve que procurar um emprego, pois durante o primeiro casamento não precisava trabalhar; mas a vida deu uma daquelas voltas que quase nos derrubam. Quase! 

Quando o resultado saiu, todos comemoraram! Os tumores, embora de nível três, ainda eram benignos. A cirurgia foi marcada para a retirada dos seios e colocação de próteses. “Doutor, eu quero tamanho 40, tive peito grande a vida toda, chega”! Passado tudo, contou a uma amiga que o marido falava que parecia ter uma mulher nova em folha! “E quando eu deito?! Os peitinhos não viram, não caem! Ficam assim, querida, durinhos para a frente! Uma beleza”! 

Maria Claudia é daquelas mulheres cheias de mulherices. Morena, cabelão, está sempre cheirosa, com roupas transadas e jóias que nem se percebem, pois parecem que fazem parte de seu corpo, não se ostentam, incrível. Naturalmente ela brilha. Sempre com um sorriso generoso,  seu coração é de ouro puro e seu abraço acolhe a todos.

De peitinhos novos, vive brincando que eles apontam para as novas direções que ela deve tomar. E se há alguém que esteja sem saber para onde ir, é só ir atrás! Vai encontrar o caminho do bem.

(Imagem: www.melhorcomsaude.com)

8 Comentários

Arquivado em Felicidade, Mulher

RAPIDINHA 36 – FRASES IDIOTAS

“O simples fato de olhá-la daquele jeito fez com que tivesse vontade de se aproximar e fazer mil perguntas idiotas. (…) Por que parece ser tão tão segura de si? Está triste, Sra Thatcher? (…) Está se sentindo deprimida, agora”? (Danielle Stell – “Cinco dias em Paris”. Ed. Record. RJ)

Perguntas idiotas são aquelas que talvez, por serem tão simples, podem de fato nos aproximar do outro, ou melhor, podem nos permitir saber do outro, mas um outro de verdade, de carne, osso e espírito.

(Imagem: melanges.com.br)

Deixe um comentário

Arquivado em Amor, Comportamento, Sentimentos

MULHERICES APÓS OS 50

Sílvia é daquelas mulheres que se aposentaram com salário integral, ainda aos cinquenta e poucos anos e que, por isso, tem muito para aproveitar a vida. Quem tem ela por perto não imagina sua vida sem ela, tão querida e generosa, sempre.

Agora estuda inglês de novo, retornou à academia, clareou mais os cabelos (ela é loura, mas agora está mais para uma sereia dourada), faz massagem… Só mulherices!

Mas a melhor vocês não sabem: começou aulas de belly dance. Entrou por acaso, viu na academia o nome da atividade, nem se lembrou de que “belly” é barriga, ou seja, dança do ventre. Já comprou três sainhas diferentes, uma preta com as medalhas douradas, uma azul e outra toda metalizada. E dá-lhe de dançar para os amigos, diante do I-Phone com a coreografia filmada para não se perder. Muita mulherice!

É muito bom vê-la quando se solta, ela é super engraçada! Entretanto às vezes, no afã de que tudo dê certo e nada saia errado para ninguém (ela é daquelas que só pensa na felicidade dos outros), beira à tensão e acaba por não curtir como poderia e deveria.

Colocar suas saias e mostrar passos novos de belly dance seria um daqueles momentos, pois ri muito de si mesma e sabe que fica linda com aqueles penduricalhos tão sensuais e tilintantes. Seria como se ela vibrasse a som de ouro. E é isso mesmo: Sílvia é puro ouro, já dizia o falecido pai: “Você é a filha de ouuuuro”! E ele não exagerou.

(Imagem: br.ioffer.com)

2 Comentários

Arquivado em Comportamento, Mulher