Arquivo do mês: março 2014

O CUIDADO DO MUNDO – sobre o Dia da Mulher

Ja São 23h29, ou seja, falta pouco tempo para terminar o DIA DA MULHER. Valentina sempre passa esse dia dividida entre dois sentimentos: agradecimento pelos que a cumprimentam e tristeza pelas Mulheres (incluindo a si mesma), senhoras, jovens e meninas do mundo (“Se há um Dia da Mulher, é porque ainda somos minoria”).

Quando assistia uma aula de filosofia, Valentina ouviu seu Prof. Leandro Konder falar do advento do arado como um dos principais fatores da soberania do homem sobre a mulher. Entretanto, ela se lembrou de um outro fato que fez com que todos na sala se entreolharem espantados: ” Certa vez li que a superioridade masculina veio com uma descoberta da participação dos homens no nascimento dos bebês.  Antes, as mulheres eram reconhecidas como seres superiores, dotadas do poder de gerar filhos! “, disse ela. Leandro Konder comentou: “E eu pensando que ainda teria tão pouco a conhecer pelo puco tempo que me resta de vida”, como se tal “noticia” parecesse luz nova.

Essa conversa numa aula de Filosofia pode até parecer só uma coisa legal, mas faz lembrar de que ser mulher sempre foi uma coisa muito especial, e antes até mesmo mágica. Sem romantismos, as mulheres ainda são capazes de magia.

Nesse mundo em que vivemos, quem sempre cuidou da humanidade foram, e ainda são, as mulheres. São elas que cuidam da comida, das crianças, dos doentes … Mulheres são solidárias com a humanidade. Há uma fotografia premiada de uma senhora na Europa de lenço amarrado . envolta da cabeça e amarrado no queixo enfrentando um soldado com um escudo blindado. Pelo o que ela lutava? Não vem ao caso. Essa foto mostra a que ponto chega a coragem de uma mulher indignada.

Nesse dia da Mulher, Valentina agradece o carinho de todos que a cumprimentam, mas por dentro tem vontade de pedir que não o façam, pois não se trata de distribuírem flores galantemente; ela pede mais do que isso. Mulheres precisam de respeito, igualdade de salários, não serem desqualificadas, não serem vitimas de violência de toda ordem, desde mutilação clitoridiana até espancamento por um homem, sem serem acusadas de precisar desses castigos (“porque tem mulher que gosta de apanhar”).

Nesse dia da Mulher, e sempre, lembremos de que ainda há muito, muito a se fazer pelas Mulheres. E ao fazermos algo por elas, estaremos fazendo pelo mundo. Um mundo melhor, com mais cuidado.

 

4 Comentários

Arquivado em Comportamento, Homem, Mulher

CABRA MARCADO PARA MATAR

Esse texto e sobre aqueles homens que parecem ter nascido matadores. Pegadores, ganham grande parte das mulheres de quem se aproximam. Alguns bonitos, muitos por serem ricos, há os sexy, os confiantes, os que sabem o que dizer, mesmo sendo feios… Mas há aqueles do tipo macho, muito macho. Cabras marcados para matar e não morrer. Agregam beleza, graça e testosterona. Homens assim, ao entrarem num ambiente chamam logo atenção. Tem alguns que, depois que abrem a boca ou começam a atuar em sua pavonice, desencantam algumas poucas mulheres, mas geralmente acertam, mexem com nossa libido. É algo meio inexplicável.

Homens macholas, bonitos, sexy são demais, pegamos só por um tempo, pois o que geralmente ocorre é que eles vão deixando corpos e corações rotos por onde passam. Cabras marcados para matar.

Quem cruzar com um aproveite, e muito! Chupe até a carne que fica grudada no osso, mas desapega para o seu coração não ser devorado. Hoje uma amiga lembrava de um tipo desses. Era  homem do tipo “Cabra Marcado Para Matar”, e não morrer. Alias, esse tipo dá uma impressão de que nenhuma mulher o terá para si, exclusivamente. Mas existe uma mulherice recorrente: a de que ‘EU”, a Escolhida de Deus, o pegarei de jeito e ele nunca mais saber de outra mulher. Traiçoeira Mulherice.

Cabra marcado para matar é melhor só comer.

(Imagem  oldhollywood.net   – Difícil escolher uma imagem; elegi Marlon Brando: ele Sempre foi um cabra marcado para matar)

6 Comentários

Arquivado em Comportamento, Homem, Mulher, Sexo

RAPIDINHA DE CARNAVAL

Há mulherice maior do que andar fantasiada pela cidade?!

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Comportamento, Mulher